domingo, 11 de novembro de 2012

Em legítima defesa


(Imagem: We love it)

Espaços vazios durante a formação, parafusos a menos após a obra estar terminada. Quanto tempo ele vai durar até o todo tombar? Será que ele existe de verdade? Será que seu rosto é desfigurado como ele vê no espelho, ou o espelho e os significados não existem? Seria apenas ele no vazio?

Alguns desejos exigem certas etapas da vida e seu amadurecimento para serem realizados. Quantas etapas foram perdidas? E se as peças que faltam forem as mais importantes no próximo passo? A idade seria medida com mais exatidão se apenas ignorássemos as voltas ao redor do sol... Às vezes não.

Prisão, prisão. Liberdade como um delírio. Delírios como uma doença. Tudo ficará bem no final, tudo no final. No final tudo acabará e ai será tarde demais. (Tesouros podem ser encontrados em depósitos de sucata?) Quando coisas importantes são ditas por pessoas frias e que não se importam o único sinal de agradecimento é o choro pelo frio das palavras e do vazio como companhia.

.Nunca ouvi meu pai cantar. Não ouço a voz dele em minha direção há meses... Eu acho que só me tornarei um adulto lá pelos 60, 70 anos... Ninguém dura tanto nesse ritmo. Não com um quarto tão bagunçado.

Tudo ficará bem um dia. Espero estar lá para testemunhar.

2 comentários:

Yuh A. disse...

Vai ficar bem sim. O sol sempre brilha no amanhã.

Rurik disse...

Vivemos esperando o dia em que seremos melhores. Mas é preciso começar a agir, essa é a única "vazão" que possuímos. Boa reflexão! :)

http://ElesLigam.com