terça-feira, 13 de novembro de 2012

Onde está o amor de todos os Teus filhos?

(Imagem: SHOELACE)


Eu tenho dentro de mim uma parte de toda a tristeza do mundo, mas minha outra metade é bela, o que acontece é que essa metade não chama tanta atenção assim quando aflora - nunca consigo controlar quando uma ou outra metade está para florescer.

Assumo total responsabilidade sobre os atos lançados para fora de meu ser, bem como os atos que ficam cá dentro eternamente embalados. O que eu gostaria de entender é o motivo pelo qual as pessoas ficam diferentes quando o mal que há no mundo inteiro se manifesta em tristeza e transparece em meu semblante. 
Eu não sou assim por metade do tempo. Como entender o fato de a metade bela ser ignorada e a metade feia ser tomada como ofensiva?

A minha outra parte bela é feliz e tem planos como os de uma criança. Eu não consigo ficar sempre ao lado dessa criança, mas a encontro muitas vezes em minha vida - várias vezes durante o dia. Essa força dentro de mim - que não me deixou desistir - faz o universo existir e é para Ele.

domingo, 11 de novembro de 2012

Em legítima defesa


(Imagem: We love it)

Espaços vazios durante a formação, parafusos a menos após a obra estar terminada. Quanto tempo ele vai durar até o todo tombar? Será que ele existe de verdade? Será que seu rosto é desfigurado como ele vê no espelho, ou o espelho e os significados não existem? Seria apenas ele no vazio?

Alguns desejos exigem certas etapas da vida e seu amadurecimento para serem realizados. Quantas etapas foram perdidas? E se as peças que faltam forem as mais importantes no próximo passo? A idade seria medida com mais exatidão se apenas ignorássemos as voltas ao redor do sol... Às vezes não.

Prisão, prisão. Liberdade como um delírio. Delírios como uma doença. Tudo ficará bem no final, tudo no final. No final tudo acabará e ai será tarde demais. (Tesouros podem ser encontrados em depósitos de sucata?) Quando coisas importantes são ditas por pessoas frias e que não se importam o único sinal de agradecimento é o choro pelo frio das palavras e do vazio como companhia.

.Nunca ouvi meu pai cantar. Não ouço a voz dele em minha direção há meses... Eu acho que só me tornarei um adulto lá pelos 60, 70 anos... Ninguém dura tanto nesse ritmo. Não com um quarto tão bagunçado.

Tudo ficará bem um dia. Espero estar lá para testemunhar.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Grow up, boy!



Hoje eu só enrolei no trabalho, eu fiquei prestando atenção no som de um teclado vindo de outro lugar. Comprei creme dental e na volta para casa, senhoras me cumprimentavam, elas me consideram um bom rapaz...

Tem alguns meses já que não arrumo meu quarto, sempre procuro as coisas dois dias antes, caso contrário, não encontrarei. Meu quarto não tem bicho, sabe. Eles preferem ambientes mais limpos...

Não tenho rotina há anos, sempre mudo os planos feitos por ocasião de mudanças no trabalho, estudos e planos do dia. As pessoas... Elas insistem em ignorar que sei de minhas responsabilidades. Se elas entendessem que me interesso por outras coisas não continuariam a falar, falar, falar...

Tenho umas músicas na cabeça e desenhos no caderno, acho isso mais importante do que todos achariam normalmente. Eu gosto de ouvir uma voz em particular do outro lado da linha. Eu gosto de estar a sós com a dona dessa voz todos os dias.

Hoje dormi mal e acordei com “olhos de ressaca” enquanto bonitas senhoras comentavam como eu parecia cansado depois do trabalho. Mas só havia enrolado por lá...
Nunca ouvi meu pai cantar. Não ouço a voz dele em minha direção há meses... Eu acho que só me tornarei um adulto lá pelos 60, 70 anos... Ninguém dura tanto nesse ritmo. Não com um quarto tão bagunçado.