terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Cosmopolita


(Imagem: We 52 It!)

Ele mente toda vez que quer fugir, desde que não machucasse ninguém estaria tudo bem. Tudo é por pouco tempo.

Não deixe ressentimentos para trás cosmopolita, isso pode ser doloroso quando não conseguir mais encontrar seus desafetos ainda que os procure. As pessoas, elas sempre se vão, todo o tempo. E o mundo é tão pequeno, é tão óbvio perceber.

Adiando tudo o que importa para fazer o planeta girar, até quando adiará o encontro mais importante? Você pensa que a fé já não é mais necessária em meio a tanto progresso e pessoas capazes de tudo realizarem. Encontre um abrigo para sua solidão. Dê um passo para fora e respire enquanto observa que viver é dar importância a coisas como jogar conversa fora numa tarde qualquer. Mesmo que você saiba que existe o infinito para desbravar, o tempo que te resta lhe permitiria chegar quantos metros abaixo da superfície?

O sol e as estrelas se refazem a cada dia, mas você não consegue notar coisas tão pequenas, apenas distrações. Seus filhos já não são os mesmos de poucos minutos atrás e todo adeus é doloroso para quem não pode perceber. Não reclame por não ter nada do que queria, há coisas mais valiosas do que realizar os desejos de um coração egoísta. Para quem são as flores nos jardins se não para você? As arvores e os pássaros nos confins do mundo também.

Você é jovem e há beleza em tantas coisas. Em todos os lugares existe o belo. Você sente que pertence a algum deles? Todas as pessoas que você jamais verá novamente poderiam ser algo mais que lembranças em sua vida. Você passa por tudo e alegra corações. Algum lugar lhe pertence? O céu e o mar até os confins da terra seriam seus, todos seus, se você soubesse esperar. Você já tem tudo o que precisa cosmopolita, pilhar o mundo inteiro não adiantaria nada ainda se fosse possível levá-lo para casa.

Você foi tão longe, e é bem sucedido além da média. As flores e o canto das aves no caminho te dão sensações de estar no lar. Todas as coisas belas que existem estão ai para te fazer sentir em casa e tudo será seu para sempre cosmopolita, desde que não caia na armadilha de querer tomar posse do que sustenta a felicidade escondida nos quintais de cada um.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Provinciano


(Imagem: We 52 It!)

Ele pede desculpas freqüentemente e vai dormir com pensamentos no mundo das pessoas lá fora imaginando como seria a vida longe daquilo tudo.

Qualquer mudança e toda a rotina são percebidas por você provinciano, você não teria chances no mundo lá fora, o seu coração está bem arraigado a terra. Isso te salvou da perdição. O mundo é demasiado grande, o mundo e as pessoas longe de seu circulo são complexos de se entender. Viver é mergulhar num oceano, se aprofundar e perceber que no fim não haverá tempo de ir mais fundo, às vezes, também não é possível voltar.

Você sempre sabe quando vai chover e o tempo exato das estações, mesmo num planeta tão desequilibrado. Por perceber coisas tão grandiosas acaba perdendo o compasso do mundo e dançando fora do ritmo, mas no tempo certo de seu coração.

As pessoas te acham tão bobo quando te vêem cultivando jardins ao invés de plantar edifícios em uma grande capital. Você percebe que tudo é seu até os confins da terra e divide essas coisas com os outros, mesmo os mais egoístas. Seu coração tão grande te faz perder os braços e pernas. Ah, você entenderia se tivesse visto o que vi!

O mundo é tão grande provinciano, se você pudesse entender a saudade que tem do que nunca esteve com você... Ela é o sentimento que leva as pessoas para longe de casa, indo encontrar do outro lado da vida o que sempre esteve em seus quintais.

Você é bem sucedido além da média, sua capacidade em saber perdoar não tem preço. Esse é o ouro mais valioso que o mundo contém. Só os loucos perdem a chance de tamanha riqueza. Só os loucos ignoram os tesouros que existem em seus quintais.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

... Nº 07

Ou A metamorfose




Quando certa manhã Alisson Samsa despertou, depois de uma noite mal dormida, achou-se em sua cama transformado em um monstruoso blogueiro. De frente ao espelho o casco duro e as duas antenas longas o assustaram a ponto de não querer sair de casa. De que forma seria recebido um ser que, embora no fundo fosse humano, por fora provocava asco até para si mesmo? E seus pais? E se eles pensassem que um ser de outro mundo houvesse devorado seu filho?

 A dúvida durou pouco, até lembrar que noite passada eles tinham partido. Cada um arrumou sua própria família como os filhos fazem depois de crescidos. O jovem Samsa, então, perguntava-se se tinha cumprido bem o seu papel de filho às avessas e havia criado bem seus pais para o mundo que agora eles decidiram ter. A solidão era insuportável.

Durante o dia o jovem asqueroso escrevia num bloco de papel coisas que na verdade eram grandes pontos de interrogação e exclamação sobre o que acabara de acontecer com ele e com o mundo há séculos e séculos... Essas folhas eram soltas pela janela do quarto no período do dia em que as pessoas passavam pela rua estreita e silenciosa.

O jovem Samsa tinha fome e esse era o único contato que ele tinha com o mundo, o único que ele se permitia ter depois de perceber que sua aparência provocava medo e nojo face a face com outras pessoas, foi então que percebeu que sua enorme fome não saciada era mais bonita nas folhas de papel do que na realidade. Na vida real aquilo era um incômodo aos outros.

Suas patas afiadas e sua boca com duas pontas não lhe permitiam segurar nem comer nada convencional, e falar era impossível, para escrever ele melava a ponta da extremidade de sua pata em tinta. Percebeu que a noite, quando não dormida, também era um bom refúgio. No silêncio seu coração cantava uma canção. - Se foi por escolha própria Alisson, Para quê te serviu essa metamorfose?

Num tempo em que a maturidade estava em uma outra estação, o casco do Jovem Samsa foi encontrado partido ao meio e seco em seu quarto ao lado da janela. Uns diziam que ele tinha morrido há vários dias, mas outros – os que tiveram contato com as folhas que alçavam vôo da janela – diziam que não. Eles diziam que ele tinha ido atrás de sua família, refazer o lar de verdade de novo. 
A vida é mais bela depois que buscamos compreendê-la perdoando e pedindo perdão sem desistir jamais. O resto são coisas pequenas. 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Onde está o amor de todos os Teus filhos?

(Imagem: SHOELACE)


Eu tenho dentro de mim uma parte de toda a tristeza do mundo, mas minha outra metade é bela, o que acontece é que essa metade não chama tanta atenção assim quando aflora - nunca consigo controlar quando uma ou outra metade está para florescer.

Assumo total responsabilidade sobre os atos lançados para fora de meu ser, bem como os atos que ficam cá dentro eternamente embalados. O que eu gostaria de entender é o motivo pelo qual as pessoas ficam diferentes quando o mal que há no mundo inteiro se manifesta em tristeza e transparece em meu semblante. 
Eu não sou assim por metade do tempo. Como entender o fato de a metade bela ser ignorada e a metade feia ser tomada como ofensiva?

A minha outra parte bela é feliz e tem planos como os de uma criança. Eu não consigo ficar sempre ao lado dessa criança, mas a encontro muitas vezes em minha vida - várias vezes durante o dia. Essa força dentro de mim - que não me deixou desistir - faz o universo existir e é para Ele.

domingo, 11 de novembro de 2012

Em legítima defesa


(Imagem: We love it)

Espaços vazios durante a formação, parafusos a menos após a obra estar terminada. Quanto tempo ele vai durar até o todo tombar? Será que ele existe de verdade? Será que seu rosto é desfigurado como ele vê no espelho, ou o espelho e os significados não existem? Seria apenas ele no vazio?

Alguns desejos exigem certas etapas da vida e seu amadurecimento para serem realizados. Quantas etapas foram perdidas? E se as peças que faltam forem as mais importantes no próximo passo? A idade seria medida com mais exatidão se apenas ignorássemos as voltas ao redor do sol... Às vezes não.

Prisão, prisão. Liberdade como um delírio. Delírios como uma doença. Tudo ficará bem no final, tudo no final. No final tudo acabará e ai será tarde demais. (Tesouros podem ser encontrados em depósitos de sucata?) Quando coisas importantes são ditas por pessoas frias e que não se importam o único sinal de agradecimento é o choro pelo frio das palavras e do vazio como companhia.

.Nunca ouvi meu pai cantar. Não ouço a voz dele em minha direção há meses... Eu acho que só me tornarei um adulto lá pelos 60, 70 anos... Ninguém dura tanto nesse ritmo. Não com um quarto tão bagunçado.

Tudo ficará bem um dia. Espero estar lá para testemunhar.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Grow up, boy!



Hoje eu só enrolei no trabalho, eu fiquei prestando atenção no som de um teclado vindo de outro lugar. Comprei creme dental e na volta para casa, senhoras me cumprimentavam, elas me consideram um bom rapaz...

Tem alguns meses já que não arrumo meu quarto, sempre procuro as coisas dois dias antes, caso contrário, não encontrarei. Meu quarto não tem bicho, sabe. Eles preferem ambientes mais limpos...

Não tenho rotina há anos, sempre mudo os planos feitos por ocasião de mudanças no trabalho, estudos e planos do dia. As pessoas... Elas insistem em ignorar que sei de minhas responsabilidades. Se elas entendessem que me interesso por outras coisas não continuariam a falar, falar, falar...

Tenho umas músicas na cabeça e desenhos no caderno, acho isso mais importante do que todos achariam normalmente. Eu gosto de ouvir uma voz em particular do outro lado da linha. Eu gosto de estar a sós com a dona dessa voz todos os dias.

Hoje dormi mal e acordei com “olhos de ressaca” enquanto bonitas senhoras comentavam como eu parecia cansado depois do trabalho. Mas só havia enrolado por lá...
Nunca ouvi meu pai cantar. Não ouço a voz dele em minha direção há meses... Eu acho que só me tornarei um adulto lá pelos 60, 70 anos... Ninguém dura tanto nesse ritmo. Não com um quarto tão bagunçado.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Doce garota da zona sul


(Imagem: HATS - Windows)

O sol se pôs na pracinha enquanto lembranças de conversas com a menina mais linda pairam dentro de mim.
Isso dá um belo sentido à vida. Espero que nossos corações sempre se alcançem toda vez que o horizonte ficar laranja sobre as lembranças e sobre o presente.

Você é constante como o rio silencioso e calmo ao redor, mesmo que não possamos ver. Eu sou nuvem que passa, chovendo escondida e desaparecendo por meses. No fundo somos a mesma água.
Eu levava uma vida muito perdida e não percebi sua perfeição.

Saber de sua existência já me faz estar perto de você e mesmo que eu não possa ve-la e a amizade ainda arde em meu peito como uma chama. Ainda que fosse possivel esquecer, a Joni e a Karen sempre te traz de volta não importa onde estejamos. Não importa onde.

See you!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Enquanto a chuva não vem


(Imagem: Daqui)



Por favor chuva, inunde minha cidade até um milhão de vezes o mais alto arranha céu. Enxague nossos corações secos. Leve embora até a roupa de nossos corpos, nos traga de volta a vergonha e leve embora o medo de sentir dor.Venha de súbito, no momento de maior distração, nos desperte de toda alienação de nós mesmos. 

Por favor chuva, destrua minha cidade até o mais sólido alicerce, arraste nosso caráter falso para o fim do mundo. Não poupe nada nem tema ser implacável com ninguém, lembre-se que somos bem piores do que gostaríamos de ser. Quando vier chuva, por favor, leve tudo com você. Estamos todos precisando de um recomeço.

domingo, 14 de outubro de 2012

Um dia no trabalho

(Imagem: Através dos tempos - Manuela Rodrigues - Olhares.com)



Acordar com o céu clarinho, tomar banho para despertar. Escutar as musicas da vizinhança e suas brigas matinais. Tomar café, às vezes não. Encher a pele de protetor solar. Cheiro de talco de bebê em parte do material de trabalho – sempre lavar antes das pesagens.

Sol gostoso na rua logo cedo, pessoas chamando meu nome. Ponto assinado, agendas a preencher. Trabalho a ser feito, sorrisos e pé na estrada. Vento-de-vez-enquando, suor misturado com perfume e protetor solar, ruas com cheiro de cocô de cachorro (depois que chove é pior).

Pessoas acordando e indo trabalhar, pessoas dormindo e ficando em casa, eu acordado e por vezes dormindo na casa delas. Sorrisos, cantadas e esquivos. Lábios sorrindo, bocas cantando. Xingamentos e desculpas, fingimentos e malícia. Assaltos frustrados, pernas pra quem te quero. Telefonemas e cansaço.

Sol a pino e cheiro de flores, perfume de mulheres que são o alicerce do mundo, minha cara de criança olhando para elas. Assinaturas e adeus. Carros passando rentes ao corpo, eu no meio da rua de novo. Cachorros de rua, velhos amigos, gatos, preguiça... Que vontade de estar em casa! Telefonemas e sorrisos, explicações.

Conversa jogada fora, confidências, pessoas desconhecidas. Homens nervosos, doentes e doenças. Velhas felizes, solidão dentro da porta e em meu coração. Baby doll e cachorros assassinos. Promessas e esquecimento – lápis e papel como remédio. Relatórios e avaliações, descanso e diversão. Vidas que me observam. Amor em todos os endereços, esperança nas calçadas, salário no fim do mês.

Depois, tudo outra vez.


domingo, 7 de outubro de 2012

Depois da escola

(Imagem : Relações intemporais num futuro incerto - Pedro Enes - olhares.com)

Dizem que os amigos que você faz na escola duram a vida toda. Talvez porque seja a única época que se possa fazer coisas estúpidas na vida sem se importar tanto. Ninguém liga para os erros enquanto ignora o futuro, ninguém liga para os erros enquanto ignora os defeitos e não tem a noção certa do que é correto fazer.

Arrumar confusão é divertido na época do colégio. Quando você baixa a guarda, vive aproveitando os momentos e descobrindo, se torna um “idiota” para a maioria das pessoas, elas realmente se incomodam e eu nunca saberei o porquê. Tentam a todo custo fazer meninos e meninas únicos tornarem-se cópias de cópias, então exageram e isso pode incluir visitas a sala da direção, suspensão ou policia na entrada do colégio. Talvez seja seguro para os mais velhos lidar com pessoas iguais. 

Pra quê esconder as coisas? Para quando errarmos nos condenarem como a um criminoso? A honestidade é sempre o melhor remédio. Tenho o dever de dizer que erro mais do que acerto quando tento explicar a alguém os caminhos para um comportamento correto. Tenho o dever de fazer isso com amor. É por isso que em certa idade os amigos que não se importam com cara feia nem promessas de punição, buscando com sinceridade diversão ou soluções, podem ter muito mais influência na vida de uma pessoa do que pais, professores e autoridades. Então o futuro fica por conta de que tipo de pessoas deixamos que nos influencie.

No mais, nesse tipo de amizade, não há perigo, nem quando se está numa briga que não sabemos como começou. Sempre levei comigo a sensação de que nunca seriamos pegos, quase nunca isso se concretizava. Mas estar na pior, cercado de gente que se gosta, é melhor do que ganhar o mundo e levar uma vida amarga. Nem sempre gostei da escola, embora ache fascinante um lugar feito para aprender e ensinar coisas... 

Houve uma época de minha vida que andei de guarda baixa fazendo coisas “idiotas”. Sou feliz e isso se deve, em parte, por causa daquela época. Estou feliz por saber que todos nós estamos bem hoje. A vida é um constante aprendizado. Eu ainda me sinto como nos tempos da escola, contando as horas para aprender e ir ver as coisas de verdade. Boas lembranças.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O colecionador de pores do Sol


(Pôr do Sol do dia 27.09.12 tirada com celular).

Durante parte de minha adolescência costumava fotografar o Sol da janela de minha antiga casa toda vez que ele ia embora. Eram imagens bonitas das várias cores que o céu ficava durante o crepúsculo e raramente notamos. Verde, rosa e azul escuro eram as cores que mais me impressionavam. Acabei perdendo 99% das fotografias, então passei a ser apenas um observador. Deixei de levar o Sol para casa toda vez que ele descia. Agora só na memória.

Quinta passada estava indo rever amigos e notei o Sol indo para o outro lado da terra enquanto a cidade voltava pra casa.  A tarde estava cinza com as nuvens pesadas que derramariam chuva por todo o fim de semana, então ele apareceu atrás das nuvens pintando tudo de laranja antes de ser encoberto novamente. “Até amanhã!” acenei com a cabeça. É preciso viver com a esperança de que sempre amanhecerá.
 Nenhum pôr do Sol é igual. Deus é o maior artista do Universo.



sexta-feira, 31 de agosto de 2012

"Hy", dear!




Na volta do trabalho encontrei sem querer uma porta para o quente recanto das memórias. Estava tudo tão suspenso, tudo cheio... as pessoas olhavam para mim, comentavam, e uma leve melancolia me fazia pensar "tanto faz" para a vida. Sei o que você vai dizer, que não vai acreditar, mas vou ficar aqui por enquanto.

Ninguém deveria se sentir sozinho num mundo cheio de gente, mas eu não quero o mundo todo, nunca quis.
Eu vou aparecer quando tudo passar, de surpresa quando o sol estiver se pondo em frente ao rio que abraça nossas casas, nosso bairro. 

Vou sair desse esconderijo quando ele estiver as portas da destruição. Já consegui uma vez, por qual razão não conseguiria de novo?

As vezes nossos inimigos tem as palavras mais confortantes. É tão arriscado acreditar. Não me espere chegar, estou inalcançável agora. Solidão é uma senhora de corpo quente e mãos frias.

Quando as paredes começarem a ruir eu abrirei a porta, talvez eu ainda consiga mesmo se demorar mais.
Seu olhar e belo sempre que o sol enfraqueçe, mas agora tanto faz.Não entendo sua falta de confiança ao ouvir que estou feliz,e não há razões para ficar apreensiva. É claro que eu vou sair dessa, só não me espere chegar e me desculpe pelo sono perdido, dessa vez não pude evitar.


segunda-feira, 9 de julho de 2012

Tão leve para o mundo


(Imagem: daqui)


Pra te falar a verdade eu gostaria que chovesse toda essa noite. Não somente pelo fato de dormir com chuva ser bom, mas por que também a chuva silencia todo o barulho que o mundo faz. Tudo fica em silêncio em respeito ao choro do céu, daí eu pego esse respeito emprestado e fico pensando que é só por minha causa.

Madrugadas chuvosas despertam sentimentos que elevam a alma e são difíceis de descrever, como se fosse esperança e ainda assim é mais que isso. Não dá mesmo para dizer o que é. Não com as palavras que estão nos dicionários. Há um grito preso em minha garganta, ou talvez seja só canção.

Noites chuvosas devem ser desesperadoras para os da rua, sem abrigo e família (para brigarem e serem felizes), como eu na medida do possível. Como é fácil pensar com um teto sobre a cabeça. Em tempos que a felicidade é vendida em garrafas na TV não posso esperar muito. Não devo. Eu só queria que essa chuva não passasse logo quando começar. As nuvens anunciam e eu a espero.

A felicidade está num dia de sol, eu sei, mas também em noites chuvosas de asfalto molhado e ruas silenciosas. Claro, e em nossas atitudes em relação a ambos. Só assim meu coração aquieta.

sábado, 30 de junho de 2012

Branca de neve e os espelhos trincados

(Imagem Daqui)

Eu a via em suas mechas em meio à rotina, rindo da aparência do homem que vestia espelhos.
Uma velha senhora com um cesto de maçãs a tocou e perguntou o motivo do escárnio com o homem que vestia espelhos. "Ele só reflete você" - Branca ouviu assustada. 
E eu que me espantei com a aparência da velha, já ia chama-la de bruxa quando percebi ela refletindo a mim também. 

Nos contos de fadas da vida real a realidade é sempre para além das aparências.


quinta-feira, 31 de maio de 2012

Você tem meu descanso de mim


 (Imagem da comuna "sou careta" - orkut)

Eu deveria ter andado com pessoas como você na época do colégio. Junto com meus outros amigos, talvez nossa loucura fosse menor e o mudo adulto não massacrasse tanto.

Gosto do seu jeito de dizer que vai ficar tudo bem quando seus pais olham para o céu nublado e comentam as noticias do telejornal. Eu ligos os fones tão alto que mal escuto a buzina dos carros em cima de mim. Só percebo que tem chuva quando a  água já está nos tornozelos.

Não me acostumei a ter que vestir perfeição longe de casa. Sou todo errado e tenho algumas contas para ajustar. Imagino o que tenha te atraído ao meu lado. Você e sua vida perfeita enquanto a chuva cai - Um lar para voltar e certezas.

Eu deveria ter andado mais com pessoas como você...
Você e eu na saída do colégio e todos os amigos ao redor.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Revisitando saudades

(Imagem: Arquivo pessoal)

Alguma coisa acontece no meu coração. Que só quando cruza a Hermes Fontes e a Avenida Barão.

Em algum lugar, algum dia estaremos todos juntos novamente. Nem que seja por um momento apenas.

domingo, 25 de março de 2012

Um romance adolescente

video

(Video: Dawn Landes - Straight Lines)

Quando te conheci, você me mostrou uma outra face do mundo e me prometeu mais. Eu sempre acordava em meu quarto depois das noites e madrugadas que passávamos juntos sem saber como havia chegado em casa. Você era como a chuva caindo sobre a minha cabeça, depois me deixava latejando até ao meio dia. Às vezes era difícil de te encontrar, você sumia por dias me deixando mal, foi então que percebi o quanto passei a depender de você para poder continuar seguindo em frente.

Me sentia só e era só você que me dava paz e centro, mas você ia embora cada dia mais cedo do que de costume. Quando vaguei pela cidade à sua procura encontrei sua casa e todos os garotos da cidade à sua espera, foi uma cena da qual não me esquecerei. Tentei dar doze passos para fora dali, por seis meses não consegui e me vi na fila dividindo você com todos da cidade. Eu te amei de inicio, eu juro, mas agora você estava levando minha alma...

Tentei mil vezes caminhar para longe de você, mas sempre caia no sexto passo. Eu queria resolver as coisas com a minha própria força, à força. E foi no chão que supliquei e Ele ouviu a minha voz, pegou-me em Seus braços e completou por mim a caminhada para longe de você. Ainda pude ouvir você gritar promessas e sorrir para mim, é mesmo lindo o seu sorriso, todos na cidade sabem disso. Minhas feridas foram curadas, Ele me deu roupas novas e me lavou, depois apontou o caminho que eu deveria seguir “estarei sempre por perto” - Ele me falou sorrindo.

Nas raras vezes em que te encontrei depois, te vi nos braços de meninos na flor da idade e senti-me feliz por não haver a menor chance de voltar. Mesmo depois do dia em que você trouxe todos os meus velhos amigos para que eles me convencessem a reatar os laços perdidos, fiquei contente ao dizer não. Romances como o nosso só têm mesmo um final feliz depois da separação.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Acampamento de verão



(Imagem Lu almeida. Fonte: Overmundo)

Alguns insetos têm o instinto muito aguçado para o calor (outros para a luz). E quando os dias são chuvosos ao extremo, esses insetos conseguem achar abrigos aquecidos assim como os magnatas da indústria acham minério nos confins da terra.

Tenho um desleixo muito grande com o tipo de coisa que ainda estou às portas para compreender. E no meio do mato, é claro para qualquer um que, uma barraca num dia de chuva é um prato cheio para qualquer tipo de inseto. Eu poderia apenas puxar quatro zíperes e não teria que ficar “caçando” aranhas, formigas, lagartas e outras coisas que nem sabia que existiam no mundo lá dentro da barraca. As aranhas me driblavam como se fosse um jogo de futebol enquanto as lagartas apenas ignoravam minha presença.

Alguns insetos são como pessoas. Alheios ao mundo em redor, não fazem noção da dimensão do espaço em que estão inseridos. Tenho certeza de que, para aqueles bichos, a mata minúscula era todo o universo do qual eles tinham conhecimento. Nascer, viver e morrer sem ter noção do mundo ao redor é mesmo aterrador. Alguns insetos são mesmo como os seres humanos. A diferença é que os insetos machucam menos. Porém mesmo sendo tão parecidos em inteligência eu continuo preferindo as pessoas.

Todos nós estamos esperando o sol nascer (às vezes estamos alheios a isso também) enquanto vivemos o que sabemos. Nossas vidas são um acampamento longe de casa. Nós não sabemos de nada.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Leves sentimentos na vida real



Parabéns, pai! É hora de correr. Correr de alegria é claro. Vamos todos correr!

Vamos para junto das lembranças de quando éramos ingênuos com relação à vida. Parabéns, pai sempre desejei dizer isso das outras vezes - nos anos anteriores. Nunca me acostumei. E acho que a sorte não é o refúgio dos fracos, às vezes, ter sorte é uma benção. Temos muita sorte, os dois. 
Ainda não aprendi a me comunicar em silêncio, sempre enfio os pés pelas mãos e acabo falando quando é hora de calar e não escuto o silêncio. Sei que você não entende tudo também. Quando respiro fundo antes dos atos complexos tudo flui melhor e até mais depressa - essa é minha máquina do tempo particular.

Vamos aproveitar esse dia juntos, eu vou anotar tudo o que quero dizer para não esquecer. Espero que dê tempo. Sempre me atraso, mas nunca esqueço. Jamais. Distância é algo tão relativo nos dias de hoje. Talvez se um de nós estivesse do outro lado do mundo fossemos mais próximos. Talvez não e temos sorte por isso. Creio que o dia mais especial entre uma pessoa e Deus, seja o dia em que os dois consigam se encontrar.  Parabéns pai! Temos muita sorte por isso também.


terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Despertar do sono profundo

Eu poderia por a culpa nas guerras e na parte do capitalismo que não cabe nos padrões utópicos de humanidade.  Poderia por a culpa nos outros, nos meus falhos relacionamentos familiares, no meu time que não ganha nada há dez anos já - dói a cabeça só de lembrar!

Gostaria de poder explicar na mesma intensidade com que realizo as coisas, pois se entendessem o que antes de se materializar parece apenas confusão, não me impediriam no exato momento em que tudo esta dando certo. Eu não traio a mim mesmo, mas assumo a culpa por aqui.

Quando um sonho exige tudo de nós, mergulhamos numa profundeza tão intensa que o mundo a nossa volta parece ficar diferente. Parece que a linha que equilibra todo o universo passa pelas suas mãos, por entre os dedos. E é tão fácil de tocar. Você já se sentiu assim antes de algo que espera muito aconteça? Eu ainda não consegui manter o controle. O universo inteiro é demais para minhas mãos.

É nessas horas quando o sonho pede espera que sinto todo o peso de tudo o que sacrifiquei bater. Não é arrependimento, eu olho para trás e me vejo estar maior em todos os sentidos, mas há um tempo na vida em que o tempo para. Isso é antes das grandes conquistas... Por qual razão tem de ser assim?

Dessa vez a espera se fez tão longa e sólida que me fez despertar de cada sonho alimentado dia a dia. Eu simplesmente os esqueci por alguns dias. Parecia estar louco, tudo parecia estar louco. Talvez tenha passado 30 dias como quem acaba de despertar de um coma que durava anos. Um homem sem sonhos é como alguém sem vida ou memória...

Quando assistia uma animação feita na virada do século (estou aficionado por essa animação) o personagem principal, sentado como estava, olhou para a tela e falou: “Boas noticias chegam para quem sabe esperar” eu não acreditei quando ouvi. Parecia uma daquelas cenas em que, nos filmes, o cara da TV ou rádio fala com o ator, como nos desenhos do pica-pau. (Eu não estava tão louco assim, ele falou comigo). E no fim do filme quando deveria aparecer os créditos finais surgiu no canto da tela em letras garrafais um “você está vivendo no mundo de verdade?” tão explicito que percebi ser coincidência demais para ficar parado.

Claro que não era meu mundo de verdade, não sem meus sonhos realizados. Lembrei de todas as orações feitas e de como Deus tem um jeito bastante eficaz de reponde-las. Como pude esquecer tudo o que me fez chegar até aqui? Eu ainda não aprendi a esperar? Que vergonha! Os acontecimentos de hoje à tarde me despertaram de verdade em apenas uma frase. Quem diria que Deus usaria um filme pra me fazer acordar.  Obrigado Deus!

A vida é mesmo como os filmes de que gostamos.
“see you, sleepy cowboy”!