quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Similis simili gaudet!

(Imagem: arquivo pessoal)

Havia um coração e duas iniciais escritas dentro dele na parede, na verdade estava em toda  parte - eu lembro, pois estava em todo parte. E de todos os casais conhecidos nenhum se encaixava naquelas inicias. Por um tempo não precebi que nossas iniciais formam aquele desenho na parede. Sei disso pois ainda está em toda parte.

Eu tento nem piscar para não perder nenhum detalhe e quando você fala, ouço estrelas. 
A felicidade não é como o momento se o momento for só por um instante. O que sinto beira o irreal. É como viver numa ilha de paz cercado de caos por todos os lados. Não é a segurança, e sim a certeza da legitimidade. É como estar na pele de outra pessoa e, ainda assim, sentir tudo por si só. Corro, mas não tenho pressa. Sei que as coisas semelhantes atraem as coisas semelhantes. É exatamente como essa atração, pois os opostos só se distraem mesmo.

Quando vivia para mim era só uma vida comum. Agora é bom estar multiplicado em outra pessoa.
E creio que podemos optar por quanto tempo o que se iniciou com um olhar deve durar. Desejo que seja por todo o sempre. E sempre, e sempre, e sempre, e sempre...