quinta-feira, 24 de março de 2011

Velhos sintomas

(Imagem: Arquivo pessoal)


Horas ao telefone
Dormir pensando
Acordar pensando
Prestar pouca atenção ao mundo
(e viver pedindo às pessoas para repetir as frases ditas por conta disso)
Felicidade ao vê-la
Horas de conversa
Dias passando leeeentos na ausência
Coração ensaiando um samba nos encontros
Lábios agradecendo em Oração
Beijos e carícias.

Como suspeitei: Curados.

7 comentários:

BCB disse...

Ainda estou pensando no que achei do poema...
Muito bom!

Casa do Baralho
http://casa-do-baralho.blogspot.com/

Leticia e Leonardo disse...

olá
lindo esse poema
adorei
bem sentimento mesmo hehe

passa la
http://www.novalexandrianet.blogspot.com/

bjo

Bruh Vampy disse...

Obrigada pelo seu comentário no meu blog ^^ , e eh verdade, eu me sinto bem escrevendo contos de vapiros, lobos e etc. mais eu tbem gosto de escrever de temas variados, mais eu nao posto naquele blog.

Ah, e seu blog tbem eh mtu bom (Y)

Bjus

Leandro disse...

Belo poema, vc escreve muuuito

Parabéns e sucesso com o blog.

Leandro
www.emquestao.org
comente e siga!

Jaquellinee disse...

HUmmmm que amor em , adorei, como sempre arrebentando. Bjs querido

Bemsei disse...

Descreve muito bem o que é viver apaixonado....
Eu BEM SEI como é!

Dois Rios disse...

Oi, Du!

Assim é o amor. Vive no limiar da doença e da cura, da alegria e da dor, do encontro e da separação. Não há amor sem uma contrapartida.

Beijo,
Inês

p.s. Vim agradecer a tua gentil visita e também avisar que vou desabilitar por um certo período, os comentários do meu blog. É que ando sem tempo para retribuir as visitas.