sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Não me proteja.

(imagem: el fuego - olhares.com)

O asfalto de dia é diferente do asfalto à noite. E agora dá pra ver de forma mais nítida que, onde quer que se olhe, os horizontes estão sendo tomados por prédios dos mais variados modos e tamanhos. É assustador para alguém da minha idade ver um horizonte de concreto, ao invés de algo azul ou verde – que nem a esperança.

Um gesto de leveza pode ser interpretado mal. E a arrogância toma conta dos bem sucedidos, (nem todos), a maior parte deles. Às vezes não há um só riso ou um “bom dia!” pelas ruas e avenidas. Não consigo acreditar que todos estão ficando cinza que nem o horizonte ao redor. O que houve com a minha cidade?! Desde quando demonstrar força é sinal de fraqueza? Quem falou que a arrogância é pré-requisito básico para ser bem sucedido na vida?

Todos estão prestes a entrar num sono assustador, e eu não sei por qual razão, mas sinto. Mas se for por causa dos horizontes fechados de agora é só olhar pra cima onde o céu ainda é azul à noite, e nada cinza poderá tocá-lo.

Se você levantar a cabeça em meio ao rush do meio-dia ou das 18:30hs em minha cidade, poderá ver como agente era há algum tempo atrás.

Quando estou dormindo meu coração ainda está desperto, quando todos parecem estar protegidos do mal ao redor, pareço ser a única vítima (ou na verdade um louco de rua).

“Isso não é nada comparado à New York ou São Paulo. Você tem que viver a vida que está ai!” Quando ouvi isso percebi que aceitar a “viver o que está ai” é a camada protetora que as pessoas usam para não pirar em meio ao caos quando este parece progresso, -como uma droga tomada para se alienar dos problemas.

Ah, por favor! Eu não quero essa proteção! Não falo do asfalto e edifícios, nem do horizonte cinza, mas do cinza-concreto que passou a estar em cada coração, e o pior! Passou a ser buscado por nós mesmos para estar em nossos corações.

Como eu odeio a cidade que eu amo!

O céu de noite parece cada vez mais distante...





14 comentários:

Fogo disse...

gostei muito da sua maneira de escrever!!!


http://fogodeletras.blogspot.com/

Publisher Girl disse...

E seu texto caberia pra falar de qualquer grande cidade do Brasil.

computaki disse...

gostei do seu perfil "estudante, filho,irmão e amante" kkkkk
http://computaki.blogspot.com/

Fábio Flora disse...

O cimento dos prédios acaba invadindo o coração das pessoas. Isso não é bom.

Dani Uzeda disse...

Poético. Mas nao sinto esta frieza na minha cidade. Edicios, estresses, trânsito, nada consegue tirar o bom humor do carioca. E nosso céu continua azul e lindo. Sempre.

Bjus

Uma apaixonada pelo Rio!

Diego disse...

Presoo pelas paredes de concreto a saudade...

Paloma Piragibe - PP; doisP; doisps disse...

Sensível. Para poucos...
Parabéns!!!

epifannias disse...

gostei bastante do post, da maenira como vc escreve e se define, parabens pelo blog

André disse...

todos os lugares urbanos do ocidente sao a mesma merda. no oriente a merda é maior.
www.blogdaincerteza.blogspot.com
abraços

risadas disse...

parabens pelo post, adorei a sua maneira d escrever, seu bog esta maravilhoso

André disse...

eu ja tinha comentado este post. passei para dar um ok. abraços
www.jardimdeaco.blogspot.com

Yo Carmo disse...

Querido amigo avassalador...Du.
Nada mais pertinente do que essa dualiade de sentimentos ...
amar e odiar ao mesmo tempo agora tudo junto... é mais humano do que se pensa.
Goatei do txto.
venha nos visitar
http://avassaladorasrio.blogspot.com

sp disse...

_______Não consigo acreditar que todos estão ficando cinza que nem o horizonte ao redor______


O mundo está cada vez mais assim...

Um abraço peludo!

Eu sou a Aline! disse...

Eu espero nunca ter que morar em SP, pq às vezes somos obrigados a fazer certas coisas na vida né...
aquela cidade é insuportável! Aquelas milhares de ruas, aquele céu deprimente e aquele fedor...
Eu gosto de andar na rua e (re)conhecer as pessoas que encontro pelo caminho...