quarta-feira, 30 de julho de 2008

Do que tenho certeza

Aracaju: Praia 13 de julho (imagem:http://www.indectelecom.org.br/ )

Um... Dois... Três... Quatro. (na rua) Carros passando sobre o asfalto que a chuva acabou de molhar e pássaros cantam.
(dentro de casa) O indefinido que a chuva trouxe com ela rondando a casa, a TV ligada nas noticias do esporte.
Antes batia uma coisa em meu peito e nunca havia nada, agora há e não é a mesma coisa que sentia quando achava que era. Aquilo era outra coisa. E não transformou-se no que se deu inicio agora, pois o que se inicia nesse momento não pode regressar até se transformar em algo baixo. Isso é bom porque não há riscos de voltar ao modo que era. O que sinto agora é uma coisa diferente do que já senti um dia.
- E você pode estar perguntando: Do que é que ele está falando? -também me perguntava isso antes de ter a certeza.
Dá para perceber, é algo se move em algum lugar no universo - talvez seja isso que mova o universo. E quando a noite vai alta ou o dia sopra seus ventos encanados entre edifícios esse indefinido ressoa em todas as pessoas, é que, às vezes, não percebemos. Mas hoje percebi o que já estava ai desde épocas remotas. E depois de olhar por tanto tempo esqueci como era a visão que eu tinha antes. Se quiser chame de amor então. É que prefiro a definição da personagem Tereza no filme Sonho de Valsa, ela diz: É “o amor que eu tenho pelo meu amor que ainda não tenho”.
Porém, o simples fato de senti-lo é prova suficiente de que existe.

11 comentários:

Ane disse...

Às perceber as coisas ao redor com outros "sentidos" nos faz descobrir coisas que estão logo ali, bem ao lado e nunca tínhamos visto.

Lolita disse...

Bela descrição.
Tudo sempre está adormecido dentro de nós.

beijos

Nido. disse...

Mas afinal, do que está falando? ^^

Cisco disse...

Até quando a gente nao sente, a gente sabe que está faltando algo... é relevante o amor...

Abraços
Cisco
http://saoluisnaweb.blogspot.com

Lu disse...

Nossa...muito legal...adorei

Parabéns pelo blog também.

Vou voltar outras vezes, com certeza!

Visita tb o meu:

http://curiososecia.blogspot.com/

Abs

Cisco disse...

Olha, Respondendo a Pergunta no SLW, Os Franceses fizeram de são Luis um Forte, então eles nao implantaram nenhum forte, e quando foi utilizada como cidade ja estava sobre o dominio Portugues, e a lingua passada foi o portugues, o que os franceses deixaram foi só a história, por isso há um questionamento sobre a data de fundação da Ilha. Tanto é que é conhecida como Ilha Rebelde, por vários conflitos com o restante do país, tipo foi o ultimo estado/cidade a aderir ao movimento de independencia ;D.

Acho que está respondido.

Abraços
Cisco
http://saoluisnaweb.blogspot.com

Anônimo disse...

Muito interessante! Gostei muito!

Raquel disse...

Entendi na frase final. Essa sensação é estranha, a falta do que ainda não sabemos, não conhecemos... Tem uma frase na música do Renato russo que diz "... essa saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi..."

Acho que é mais ou menos isso.

Gostei de ler o seu texto.

Abs
Raquel

http://raquelrfc.wordpress.com/

Leonardo Dognani disse...

é interessante o Amor.

algo vital p vida! sem ele não é vida! =)
porém, TODO o tipo de amor, faltando um deles vc não sabe viver.
Amor entre pessoas, não somente como irmãos ou amigos, mas com explosão sexual! química! querer 2 corpos como um! querer ouvir gemidos e depravações alheias e provocá-las isso^^
desde os beijos serenos num crepúsculo, ao corpo distorcido num orgasmo^^

o mais legal, é q gosto de coisas leves, mas só sei disso pq tb gosto das pesadas e fortes^^
Não tenho medo de "agressões". minha carne e meu espírito são fortes o bastante para entender que o mundo é feito de tudo, de luz e escurdião^^
e como sempre digo: Luz demais tem o mesmo efeito que Escuridão demais: Ambos Cegam^^
por isso eu ando no meio.

Abraços.

Débora disse...

Texto bem expressivo , tive um pouco de dificuldade em interpreta-lo e lí e reli ele algumas vezes .
Achei um poquinho confuso e por isso não vou postar o que interpretei,vou lêr mais algumas vezes e depois eu comento novamente. rs

Bjks

I'm Sophie Rachel! Nice to meet you, stranger! disse...

Oi Du!
Curto Los Hermanos e os prefiro mais agora do que na fase Ana Júlia. As letras e o som são muito bons. Não é uma das bandas que ouço constantemente mas músicas que marcam nossa vida em fases boas são "forever".

"Mas hoje percebi o que já estava ai desde épocas remotas. E depois de olhar por tanto tempo esqueci como era a visão que eu tinha antes."
To meio assim.


O post sobre We Never Danced do Neil Young - simples e sincero, cool!

Um abraço e td de bão!